UFOLOGIA COMPLETA 

70 ANOS DE PESQUISAS

Por Edison Boaventura Júnior*,

Presidente do GUG – Grupo Ufológico de Guarujá



No mês de junho de 2017, a Ufologia ou paraciência que estuda o fenômeno dos discos voadores e objetos voadores não identificados, completa 70 anos de pesquisas.

O dia 24 de junho é comemorado anualmente por pesquisadores de vários países, por ser o marco histórico a partir do qual, no ano de 1947, o assunto foi popularizado, pois o piloto civil norte-americano Kenneth Arnold (foto), relatou à Imprensa o seu avistamento sobre o Monte Rainer em Washington de um esquadrão de nove objetos voadores não identificados (OVNIS).

Na época, devido ao formato dos objetos voadores, Arnold usou a expressão “Flying Saucer” (pires voador), que mais tarde foi adaptada para língua portuguesa como “disco voador”.

Nos dias atuais muitos céticos contestam esta histórica ocorrência e inclusive, muitos pesquisadores de Ufologia já admitem como hipótese que àqueles objetos estranhos seriam uma formação de aeronaves super secretas dos Estados Unidos.

Foto: Ipameri - GO, Brasil, 15 Nov 1978

Entretanto, desde então, o mundo passou a conhecer um volume cada vez maior de relatos e registros estranhos, que hoje somam cerca de oito milhões de ocorrências registradas em 180 nações do mundo, sendo que milhares destes registros são de contatos diretos com seus tripulantes.

No início dos estudos da Ufologia acreditava-se que os tripulantes e o aparecimento de suas naves eram manifestações divinas, onde, segundo alguns pesquisadores, estes seres seriam uma espécie de “anjos salvadores”. Outros ufólogos já adotavam a linha científica e preferiam acreditar em fatos palpáveis. Aos poucos, o fenômeno mostrou-se mais complexo e já apresentava inclusive, aspectos de violência em alguns casos. Paulatinamente ficou esclarecido que os fenômenos eram antigos, pois foram registrados desde os tempos mais remotos da humanidade por várias culturas. No folclore de vários países, inclusive no Brasil, também foram encontradas citações que poderiam indicar que se tratariam do mesmo fenômeno ufológico.

Hoje a Ufologia vive um grande drama, pois até este momento os pesquisadores não conseguiram dar à humanidade a conclusão sobre a existência do fenômeno e sua origem, se é extraterrestre ou não. Perguntas básicas ainda estão no ar: Quem e o que são? De onde e porque vêm? Por que não se mostram abertamente?

  A única resposta existente é que os “discos voadores” existem! Não há dúvidas quanto a esta afirmação. Quem ainda duvida é porque desconhece as informações existentes sobre o tema. Há literalmente milhões de registros ufológicos nos arquivos das forças armadas de vários países, até mesmo aqui no nosso País, que confirmam que algo está acontecendo, embora os dados quantitativos não forneçam indicativos para diferenciarmos os registros causados por aeronaves convencionais, fenômenos naturais ou os verdadeiramente ufológicos.


Na edição de 01 de maio/2007 do jornal londrino “The Guardian” foi noticiado que o Governo inglês liberaria informações sobre casos ufológicos acontecidos na Inglaterra desde 1967 e pesquisados pelos militares britânicos.

No passado, já tivemos liberações de documentos oficiais em países como, por exemplo, a Espanha, Chile, Uruguai, Bélgica e em parte até nos Estados Unidos - neste caso por meio de processos judiciais com base na Lei de Liberdade de Informação (FOIA), quando foram liberados mais de 15 mil documentos.

Estas atitudes trazem esperança quanto à abertura dos arquivos secretos do Governo brasileiro, principalmente os pertencentes às nossas Forças Armadas.

Daqui para frente, urge buscarmos a verdade dos fatos! Os ufólogos devem continuar a estudar objetivamente esse intrigante fenômeno, procurando através de pesquisas, conjecturas e comparação de dados, utilizando metodologia científica, para compreenderem suas enigmáticas manifestações. E continuem divulgando suas pesquisas seriamente para conscientização da população!

É importante também que os ufólogos separem o joio do trigo e combatam os mistificadores e charlatães pois, durante anos, estas pessoas perniciosas semeiam a confusão, inserem fraudes de vários tipos e inventam todo tipo de estória para desacreditar o fenômeno.

Particularmente eu diria que, sem querer ser um tanto pessimista, vou morrer sem descobrir a verdade sobre os “discos voadores”! Espero que eu esteja errado... Mas se temos 70 anos de pesquisa ininterrupta e sistemática e até então não tivemos uma resposta conclusiva, não acredito que esta resposta esteja tão próxima de acontecer. Entretanto, se esta conclusão vier, será muito bem vinda.

Finalizando, gostaria de dar os parabéns a todos os ufólogos por mais um dia 24 de junho e por suas jornadas obstinadas em desvendar os mistérios deste complexo e espetacular fenômeno de massa.


* Pesquisador há 27 anos, fundador e atual presidente do GUG – Grupo Ufológico de Guarujá. Possui diversos trabalhos publicados em revistas, jornais e periódicos de vários países. Realizou e participou de vários congressos nacionais e internacionais. Participou de vários programas de televisão e rádio. Como pesquisador adota a linha científica de investigação, tendo investigado centenas de casos de abdução, pousos e contatos com OVNIS, principalmente nom Litoral Paulista. Participou intensamente da investigação do “Caso Varginha”, em Minas Gerais. Atualmente vem desenvolvendo levantamentos sobre a atuação de militares brasileiros em pesquisas relacionadas com o Fenômeno Disco Voador.

Endereço para contato: boaventura_gug@hotmail.com ou pelo telefone +55-11-98424-6925.

Create a Free Website