AKIBA SHIZU



  • Apelido: não tem
  • Data de nascimento: 30 de junho de 1981
  • Signo chinês: Galo.
  • Tipo sangüíneo: O-
  • Amaterasu: 1992 a 1999
  • Matérias favoritas: Mantras e Sutras, Química Corporal e Hierarquia Espiritual.
  • Clubes: Dança e kendô.
  • Hobbies: Praticar a arte caligráfica Shodo e estudar sobre tipos de danças em outros países.
  • Tema: Suddenly I see – KT Tunstall

  • Filha caçula de Kissaburo e Tori, aos 2 anos Shizu viu sua mãe e seus 3 irmãos serem acometidos de uma doença desconhecida que os matou em menos de 1 ano. Para ajudá-la a passar pela dor, seu pai deu o cordão da mãe. Nele há o pingete de Kannon, a divindade a quem a pequena se apegou. Aos 4 anos seu pai se casou com sua atual madrasta, Yassu, que a criou como filha. A menina mal se lembra de sua mãe.

    A primeira coisa que se repara em Akiba Shizu é o seu sorriso sempre aberto e iluminando sua face. Alguns podem achar que seja idiota, mas a garota acredita que o melhor modo de agradecer por estar viva é vivendo.

    Apesar do sorriso no rosto e a amabilidade que trata a todos, quando Shizu sai do sério é melhor se afastar porque a razão some. Se ela implicar com alguém, essa pessoa irá precisar de muitas provas para mudar sua opinião.

    Shizu sempre se esforçou para não se deixar abater pela perda da família, quando tão nova. Apesar de amar sua madrasta e ter por ela muita gratidão, a jovem se cala e se omite quando o assunto é mãe ou laços maternos.

    Extremamente estudiosa, deseja ser curandeira e sabe que para isso deve se esforçar mais do que esperado. Outro motivo que a leva estudar bastante, que seu irmão a lembra sempre, é que a loja da família irá para o filho homem e não para a primogênita. Shizu não entende (e desistiu de entender) o motivo que Hoitiro, primogênito de sua madrasta com seu pai não gosta dela. Desde pequeno exige obediência por ser homem e continua a provocar a irmã mais velha na escola.

    FAMILIARES

    Pais


  • Akiba Kissaburo (51 anos): Vem de uma família simples de Suzuko. Seu pai, Akiba Kizaemon, era um vendedor de colecionáveis, o que ajudou seu filho único a ter um bom olho para arte e o prazer de colecionar peças de grande beleza. Desde novo era apaixonado por Tori, uma jovem ‘sem-dom’ que conheceu quando visitou Tokyo. Com a permissão do pai, cortejou a jovem e, com a maioridade alcançada, noivaram e em poucos anos se casaram. Sua felicidade só foi mais completa quandos seus filhos nasceram e teve como caçula uma linda princesa (aos olhos do pai). Sofreu muito quando sua esposa e seus filhos morreram. Se agarrou a Shizu para continuar a viver e achou em Yassu força para crescer. Abriu uma pequena loja de miudezas chamada Kushi-do, vendendo principalmente pentes, broches e adornos para o cabelo, a qual rapidamente cresceu, dando status e conforto para a família Akiba. O crescimento e desenvolvimento da loja se deve a criação de ‘diamantes kangou’, um segredo que somente o casal Akiba, e agora aos 16 anos Shizu, sabem.

  • Akiba Tori (in memorian): Uma jovem sem-dom que foi cortejada por um rapaz que a conheçou em um mercado em Tóquio e no dia seguinte estava em sua casa pedindo permissão para encontrá-la mais vezes. No dia anterior do casamento, Kissaburo falou que era um bruxo e que provavelmente todos os filhos seriam também. Tori não se assustou e no dia seguinte se casaram. Foi a primeira a adoecer e em menos de dois meses faleceu.

  • Madrasta - Akiba Yassu (30 anos): Casou com Kissaburo muito nova, tinha acabado de fazer 18 anos. O viúvo era um homem honrado e procurava uma segunda mãe para sua filha. Aos poucos foi se apaixonando pelo homem e pela criança, não distingüindo seus filhos de Shizu. Ajudou o marido a abrir e cuidar da loja de miudezas Kushi-do.

    Irmãos


  • Akiba Takejiro, Akiba Aito e Akiba Masahito (in memorian): Shizu ora em homenagens aos seus irmãos, mas não tem nenhuma lembrança deles.

  • Akiba Hoitiro: Primogênito de Kissaburo e Yassu, tem 12 anos e não gosta de sua meia-irmã. Na frente dos pais age com respeito e fingi carinho, mas a sós deixa bem claro que não a ama. Hoitiro sente inveja de Shizu por ela ser primogênita do pai e também por ter o amor de sua mãe.

  • Akiba Kiyo: Caçula da família, tem 6 anos e é a xodó de Kissaburo. Kiyo admira sua mãe e sua irmã, sempre falando que quer ser as duas quando crescer.

    Avós Paternos


  • Akiba Kizaemon (74 anos): Trabalhava duro como vendendor de colecionáveis para poder dar chance para seu único filho poder crescer na vida. Ajudou-o a se reerguer quando este perdeu a família. Após a morte da esposa passou a viajar pelo mundo, conhecendo novas culturas.

  • Akiba Fusayo (in memorian): Ajudou seu filho a cuidar de sua filha e encontrou para ele uma nova esposa que sabia que tinha um bom coração para cuidar de sua neta. Faleceu quando Shizu tinha 10 anos.

    Avós Maternos


  • Takanori Ritsuo: Não teve nada contra o casamento da filha com um bruxo, mas após o falecimento de Tori e seus netos, culpou o mundo mágico pela doença entranha. Apesar de algumas vezes ver a neta, se recusa a entrar em Suzuko e espera quando Shizu vai até sua casa.

  • Takanori Iyo: Nunca gostou de saber que teria um genro bruxo e o culpou pela morte da filha. Demorou anos até conseguir ver Shizu sem culpá-la também.

    Demais Parentes


  • Akiba Wataru: Foi quando Kissaburo foi visitar Wataru em Tóquio que conheceu Tori. De todos da família Akiba que se encontra espahada pelo Japão, ele é o mais próximo e que tem mais contato. Casado com Akiba Yukimi, tem um filho que estuda a Amaterasu.

  • Akiba Asuya: Filho de Wataru e Yukimi, mais velho que Shizu, é um bom amigo da prima dentro de Amaterasu, pertecendo ao dormitório Fuyu. Apesar da distância entre as cidades, brincavam muito quando criança e voltaram a ter contato na escola.

  • Takanori Satoaki: Irmão caçula de Tori, é um dos sócios de uma grande rede de televisão japonesa. Sempre trabalhou muito e nunca quis se casar. Não concorda em culpar o mundo mágico nem o cunhado pela morte da irmã e sempre manteve contato com a sobrinha que muito ama.

    voltar. | avançar.