MYRAI OTSU



  • Apelidos: Otsu-hime e Otsu-chan, embora sejam poucos aqueles que a chamam assim.
  • Data de nascimento: 14 de setembro de 1982
  • Signo chinês: Cão.
  • Tipo sangüíneo: A+
  • Amaterasu: 1993 a 2000
  • Matérias favoritas: Escrita da Cosmologia, Ética Aplicada e História da Magia em geral.
  • Clubes: Dança e kendô.
  • Hobbies: Observar as estrelas, tocar kotô, caligrafia e pintura.
  • Tema: Numb – Linkin Park

  • Otsu é filha única de Setsuna-no-kami, diretora da Amaterasu e chefe do Conselho de Suzuko. Herdeira do clã das videntes Myrai (vide O Conselho), ela foi concebida na cerimônia a que Setsuna se submeteu.

    Até os seis anos de idade, a menina foi criada e educada por sua avô, Myrai Kaede. Após o falecimento de Kaede, a educação da menina passou a ser a cargo de sua tia Tomoe, filha de Kaede com seu marido Shinomori Itto.

    Embora tente compreender a importância da mãe no mundo bruxo, Otsu não consegue refrear uma certa amargura em relação às prioridades políticas da mãe em detrimento a ela. Mas sua amargura não se deve apenas ao posicionamento de Setsuna frente aos seus deveres. A relação entre as duas é complicada, especialmente pelo fato de Otsu sentir-se sempre aquém das expectativas que a vidente sobrepõe sobre a filha. Por mais que se empenhe e se esforce, a menina sente nunca conseguir alcançar o coração frio e fechado da mãe.

    Otsu nasceu com os olhos vermelhos tal qual os de sua mãe Setsuna. Conhecidos como Shishôgen, ou os olhos de quem transita entre a vida e a morte, esses orbes cor de fogo usualmente são um indicativo forte de vidência mais poderosa, mas não necessariamente completa. A verdade por trás desse tom avermelhado da pupila só é revelada no teste do Otemise.

    Essa incerteza, às vezes atormenta a menina. Ela não escolheu ser vidente. Foi concebida para isso. E sabe que pela honra da família, se ela não for uma vidente completa, ela terá que sacrificar pelo menos um de seus sentidos para dar continuidade ao clã e ao papel que ele desempenha no mundo bruxo japonês.

    Sendo filha de alguém tão reconhecidamente sábia como Setsuna, Otsu sabe que todos no clã, assim como seus colegas de escola, possuem altas expectativas em relação a ela, por isso, se esforça ao máximo para ser uma aluna exemplar.

    É extremamente calada e séria, mas ao mesmo tempo gentil e doce com os colegas. Essa sua polidez vem de um desejo de ser amada, mas simultaneamente de um medo de se aproximar verdadeiramente das pessoas, exatamente pelas altas expectativas que se referem a ela.

    Membro dos clubes de kendô e dança, pratica as duas com paixão que raras vezes se deixa tomar, vendo as duas atividades como complementares entre si.

    FAMÍLIA MYRAI

  • Myrai Setsuna: A atual diretora de Amaterasu e presidente do Conselho de Suzuko, Myrai Setsuna é para aqueles ao redor dela um completo enigma. Tida como a mais poderosa bruxa japonesa da atualidade, especialmente por ser a única vidente completa conhecida, Setsuna é uma mulher aparentemente fria, prática e centrada. Sempre colocou seus deveres para com a família e governo antes de seus sentimentos pessoais. Sua especialidade é a legilimência. Antes de virar diretora, foi professora de Ética Aplicada. Sua vida é completamente dedicada ao Conselho e à Amaterasu, assim possui pouco contato com a filha, mesmo convivendo com ela na mesma casa durante a infância e as férias escolares. A verdade é que, para Setsuna, Otsu é a encarnação viva de um momento de debilidade em sua vida. Mesmo sendo uma "filha da cerimônia", Otsu é filha do único homem que conseguiu alcançar parcialmente o coração de pedra da vidente. Os modos gentis e delicados de Otsu lembram à mãe aquilo que ela perdeu com a morte do pai da menina, mas não apenas isso. Setsuna enxerga a personalidade da filha como um defeito grave e teme que a "fraqueza" da hime leve o Conselho de Suzuko, a herança das Myrai, enfim, tudo aquilo pelo qual ela se sacrificou durante toda a vida, à mais completa ruína.

  • Myrai Kaede (in memorian): Antecessora de Setsuna no Conselho de Suzuko. Diferentemente de Setsuna, Kaede não era uma vidente completa, e sacrificou a visão para cumprir adequadamente suas funções como uma dos Oito Sombras do Poder. Era conhecida como Os Olhos do Coração, pois, ao contrário da filha mais velha, Kaede nunca se mostrou fria ou distante de seus semelhantes. Isso não significa que ela fosse uma mulher passional, levada facilmente pelos sentimentos. Apenas possuía uma empatia exacerbada em relação às pessoas, utilizando, inclusive, essa capacidade como ferramenta para realizar suas funções como chefe do Conselho. Antes de mais nada, Kaede agia como uma diplomata e conciliadora no que dizia respeito aos assuntos políticos. A antiga matriarca das Myrai sempre acreditou fielmente no cumprimento das tradições como guia de conduta, mas não de modo rígido e intransigente. Quando achava necessário, burlava um ou outro aspectos dessas tradições, se acreditasse que o resultado era o mais adequado. Casou-se com Shinomori Itto por amor e escolha pessoal.

  • Shinomori Itto (in memorian): Embora não seja um dos Oito Clãs Fundadores de Suzuko, a família Shinomori sempre possuiu laços estreitos com os membros dos demais Clãs, e através de alianças e casamentos, passou a integrar como um dos ramos do Clã Kenmei, sendo inclusive ocasionalmente denominada como Ura-Kenmei (Ura tem o sentido de verso, atrás, escondido, secreto). O papel inicial dos Shinomori era agirem como protetores do Conselho dos Oito, sendo uma linhagem fortemente adepta dos preceitos do bushidô (o caminho do samurai). Por sua criação, Itto sempre foi um fiel seguidor desses preceitos, sendo um homem sério e ligado sobretudo ao principio da honra. Foi como representante do clã Kenmei que se tornou membro do Conselho de Suzuko até que, por questões de saúde, se sentiu incapaz de cumprir adequadamente seu papel, e abdicou o cargo em favor de Kenmei Yopparau, filho da irmã de Itto, Yumi. Do casamento com Kaede-no-kami, gerou uma filha, Tomoe. Shinomori era também pai de Setsuna, mas, por causa das tradições referentes à cerimônia da concepção da vidente, não era reconhecido como tal.

  • Myrai Tomoe: Filha caçula de Kaede e Itto, Tomoe é atualmente professora da cadeira de Oráculos em Amaterasu. Tomoe-sensei é uma vidente incompleta, que optou por não abrir mão de seus sentidos, embora se esforce sobremaneira para tentar compreender completamente os sonhos premonitórios com os quais é assaltada. Após a morte de Kaede, tornou-se responsável pela educação da sobrinha. Talvez Tomoe, mesmo sendo uma pessoa calada e reservada, seja quem demonstrou a Otsu o mais próximo do que se pode chamar de carinho materno, juntamente com Kaede-sama. Entretanto, Tomoe sente-se intimidada pela figura da irmã mais velha, e tenta sempre seguir a risca - e fazer com que Otsu também o faça - aquilo que ela imagina ser sempre a vontade de Setsuna-no-kami.

    FAMÍLIA HIMURA

    A Família Himura é também um antigo clã em Suzuko. Embora presente na cidade desde sua fundação, optaram por não participar do governo por compreenderem que sua função estaria ligada não ao trato com pessoas, mas sim com os animais. Eles foram, desde o começo, os responsáveis pela regulamentação e cuidado dos animais mágicos do Japão.

  • Himura Soujiro (in memorian): Último descendente do clã, foi escolhido para ser o "consorte de vidente" na cerimônia a qual Setsuna se submeteu. Soujiro era um sujeito gentil e de boa índole, mas também determinado. Desde muito jovem, se apaixonou por Myrai Setsuna, chegando a se declarar e ser rechaçado pela vidente. Afastou-se dela, embora não a tendo esquecido por completo. A convivência enquanto professores em Amaterasu, onde ele ministrava Fisiologia, e a cerimônia acabaram aproximando os dois, fazendo com que se tornassem amantes. Era conhecido como "o encantador de feras", e ele realmente tinha a paixão e habilidade em lidar com as criaturas mágicas. Chegou a fazer um intercâmbio nas Hébridas, entre o conhecido clã escocês de domadores de dragões, os MacFusty. O período que passou na Grã-Bretanha o marcou fortemente e levou à idéia de capturar um casal de Meteoros Chineses para serem criados em cativeiro na escola japonesa. Contudo, não viu seu sonho ser realizado, morrendo durante a empreitada. Sua identidade ainda é desconhecida por completo pela jovem hime.

    voltar. | avançar.